Make your own free website on Tripod.com
A B S T R A C  I O N I S M O

 

       

   A  principal característica da pintura abstrata é a ausência de relação imediata entre suas formas e cores. Uma tela abstrata não representa nada da realidade que nos cerca, nem narra figurativamente alguma cena histórica, literária, religiosa ou mitológica.

        Os estudiosos de Arte comumente consideram o pintor russo Wassily Kandinsky (1866-1944), o iniciador da moderna pintura abstrata.          

Nessa obra é possível identificar - mesmo com formas simplificadas - algumas lanças e montanhas, uma fortaleza e um arco-íris. Entretanto, mais do que objetos, reconhecemos uma série de planos e de linhas diagonais cujas cores vão desde o negro bem nítido, até borrões de cores suaves.

          Mikhai Larionov (1881-1964) e Nathalia Gontcharova (1881-1962) valorizavam a relação entre as cores, sem se preocupar com a representação de um assunto. Em 1912, Vladimir Tatlin (1885-1956) começou a fazer pintura de relevo, usando materiais diversos. Daí, o artista deu mais um passo e começou a construir objetos a partir de vidro, metal e madeira. Suas obras eram completamente abstratas e foram a base para o movimento denominado Construtivismo.

 

          Duas tendências firmaram-se com característica mais precisas - o Abstracionismo Informal e o Abstracionismo Geométrico.

          No Abstracionismo Informal predominam os sentimentos e emoções. Por isso, as formas e cores são criadas mais livremente. A obra Impressão , domingo de Kandinsky , constitui m bom exemplo dessa tendência.

          Já no Abstracionismo Geométrico, as formas e as cores devem ser organizadas de tal maneira que a composição resultante seja apenas a expressão de uma concepção geométrica.

          Piet Mondrian (1872-1974),suas obras são as mais representativas do Abstracionismo geométrico.

      Essa busca da estrutura oculta dos seres aparece na série de árvores que pintou entre 1908 e 1912.  Em Árvore Vermelha reconhecemos perfeitamente uma árvore apesar do uso arbitrário que faz da cor vermelha.

     Já nos quadros seguintes, o artista se interessa pela árvore como um conjunto de linhas retas e curvas e no relacionamento desse conjunto com o todo da tela. Nas décadas de 20 e30, as linhas diagonais e curvas desaparecem dos seus quadros, dando lugar somente ás linhas horizontais e verticais, juntamente com as cores primárias.

voltar